sexta-feira, 29 de julho de 2011

Gravitação Universal

Ó Deus, nós não podemos, de fato, te dar nada, pois tudo vem de ti, e nós somente devolvemos o que já é Teu. (1 Crônicas 29:14)

Uma vez eu presenciei a despedida de uma família que estava deixando o Brasil para ser missionária em outro país. Essa família estava abrindo mão de uma espaçosa e excelente casa para ir morar em um apartamento minúsculo do outro lado do mundo. No novo país, a família passaria a conviver com pessoas de cultura diferente e num clima contrário ao seu costume. Tudo isso estava sendo feito pelo amor a Deus e em obediência à Sua Palavra, que diz: — Vão pelo mundo inteiro e anunciem o evangelho a todas as pessoas.

Para essa família, o fato era motivo de muita alegria, pois ardia no coração de seus membros o desejo imenso de compartilhar o Evangelho com um povo de língua e costume diferentes e em um país onde não havia ainda nenhum grupo cristão. Por ser um país pobre, eles sabiam que em algum momento haveriam de doar pequenas ajudas àquele povo.

No meio de uma conversa, um dos amigos perguntou para o pai daquela família como eles estavam lidando com a mudança toda, inclusive com a perda do nível de conforto. Aquele pai missionário respondeu: — Na verdade, nós já abrimos mão de tudo com muita liberalidade, até porque não temos tantos bens assim...

Existe uma lei da ciência que pode ser usada aqui como uma metáfora para explicar porque os membros daquela família não sentiram tanta dificuldade em deixar tudo e atender ao chamado de Deus para serem missionários: É a lei da gravitação universal.

Essa lei diz que dois objetos quaisquer se atraem gravitacionalmente por meio de uma força que é proporcional à massa de cada um deles e inversamente proporcional ao quadrado da distância que separa esses corpos. Explicando: Quanto maior a massa corpórea, maior a força gravitacional. Quanto maior a força gravitacional, mais difícil é de se desapegar do corpo. Por outro lado, quanto maior a distância entre os corpos, menor a força gravitacional.

O materialismo que existe hoje no mundo é a grande massa corpórea que atrai cada vez mais massa. Quanto maior a massa fica, maior atração implica. É por isso que quanto mais bens a pessoa tem, mais bens ela quer ter e mais difícil é se desapegar desses bens. Isso acontece nas melhores famílias.

Vivemos em um mundo materialista e, por isso, essa lei gravitacional a qual me refiro é muito forte. Mas nós temos a chance de desafiá-la.

Para isso, precisamos ter uma atitude como a do rei Davi que, sendo rico e possuidor de muitas riquezas, não se deixou ser perdidamente atraído por elas. Pelo contrário, ele orava assim: Senhor, Tu és grande e poderoso, glorioso, esplêndido e majestoso. Tudo o que existe no céu e na terra pertence a ti; tu és o Rei, o supremo governador de tudo. Toda a riqueza e prosperidade vêm de ti; tu governas todas as coisas com o teu poder e a tua força e podes tornar grande e forte qualquer pessoa. Agora, nosso Deus, nós te agradecemos e louvamos o teu nome glorioso. (1 Crônicas 29: 11-13)

Foi por causa de atitudes como essas é que Deus disse as seguintes palavras a respeito desse grande homem: ‘Encontrei em Davi, filho de Jessé, o tipo de pessoa que eu quero e que vai fazer tudo o que eu desejo.’ (Atos 13: 22)

Agora reflita: Você consegue possuir bens materiais sem se prender a eles? Você consegue desapegar-se deles conscientemente sabendo que tudo que você tem vem de Deus? Você consegue ‘abrir mão deles’ com a certeza de que apenas está devolvendo a Deus aquilo que dEle você recebeu 'emprestado'? Agradeça a Deus pelo que você tem!

O nosso maior tesouro, além da eternidade no Céu, é vivermos fazendo a vontade de Deus, livres dos pecados da ganância e da avareza!