segunda-feira, 27 de junho de 2011

Viver a Vida!

Jesus respondeu: — Eu afirmo ao senhor que isto é verdade: ninguém pode ver o Reino de Deus se não nascer de novo. (João 3:3)

No dia do nascimento de nossa filha, eu e o nosso filho mais velho, com apenas um ano e meio, fomos à maternidade para visitá-la e deixar um presentinho para a mamãe. Quando chegamos ao berçário, deparamo-nos com aquela pirralhinha, que é a coisa mais engraçadinha do mundo, ensaiando um sorrisinho para nós. No meio da nossa admiração, o nosso filhinho André, vulgo Dé, olhou para ela e, com uma boa dose de espontaneidade, disse em alta voz: – Deca! É a Deca!

Pronto, foi o suficiente para os pais corujas caírem na gargalhada. Eu disse para minha esposa: Como que um pirralho de um ano e meio pode raciocinar assim: Se ele chama Dé, logo, sua irmã deve se chamar Deca.

O resultado da história foi que a nossa recém-nascida passou a chamar-se Andréa, vulgo Deca. A partir daí, André e Andréa passaram a ser o centro da nossa atenção e alegria a cada dia. Dois anos e meio mais tarde nasceu o Junior e completou a festa.

Nós seres humanos amamos bebês. Pelo menos a maioria. Há uma emoção inexplicável que nos envolve quando presenciamos o início de uma vida. Entretanto, o dia do nascimento é o dia mais importante e, ao mesmo tempo, o menos importante na vida de uma pessoa. É o mais importante porque, sem ele, não existiria a própria vida. Mas também é o menos importante porque é passado e representa apenas um ponto de partida. Evidentemente, o mais importante no nascimento é exatamente o que decorre dele: a vida, e como você a vive.

Por mais óbvia que esta historinha possa parecer, o nascimento e a vida espiritual podem ser comparáveis ao nascimento e à vida carnal. De certa forma, o novo nascimento é uma coisa importante na nossa vida espiritual, porque nós não nascemos cristãos, mas passamos a sê-lo no momento em que nascemos da água e do espírito. Isso acontece quando aceitamos o sacrifício de Jesus Cristo como o ato mais importante para a salvação da nossa alma. Por outro lado, após nos tornarmos cristãos, devemos desfocar a data do nascimento, a data do nosso aniversário espiritual e dar maior ênfase à nossa maneira de viver espiritualmente.

É claro que devemos ser gratos a Deus por ter nos enviado o Espírito Santo para nos convencer do pecado e colocar em nossos corações o arrependimento. Só Ele pode nos regenerar, por isso somos gratos. Mas isso é passado. A partir daí, a nossa caminhada com Cristo, no momento presente, passa a ter uma importância muito grande para a nossa salvação.

Porém, se vivemos na luz [tempo presente], como Deus está na luz, então estamos [tempo presente] unidos uns com os outros, e o sangue de Jesus, o seu Filho, nos limpa [tempo presente] de todo pecado. (1 João 1:7)

Como está sua vida hoje com Cristo? Como está sua caminhada rumo à Salvação? Se dissermos que não temos pecados, estamos nos enganando, e não há verdade em nós. Mas, se confessarmos os nossos pecados a Deus, ele cumprirá a sua promessa e fará o que é correto: ele perdoará os nossos pecados e nos limpará de toda maldade. (1 João 1:8-9)

Ao confessar seu pecado diariamente, confie na promessa de perdão e limpeza em Cristo e continue firme na caminhada com Ele. A coisa mais importante depois de ter nascido de novo é viver bem vida espiritual, a cada dia.


Portanto, comemore seu novo nascimento, mas viva-o de verdade! Com Cristo!