sexta-feira, 10 de junho de 2011

Tenho a Graça, Logo Existo!

Lembra como é curta a minha vida; lembra que todas as pessoas que criaste vão morrer um dia. Quem pode continuar vivo e nunca morrer? Quem pode escapar da sepultura? (Salmos 89:47-48) 

A nossa existência só se explica pela intervenção de um fator exógeno. Essa palavra quer dizer um fator que veio de fora da gente, que não estava dentro da gente. Como somos a coroa da criação, então tudo mais, base da sustentação da nossa existência, também depende desse fator que vem de fora. Que fator é este? 

A Palavra diz que tudo no Universo foi afetado na queda da humanidade no Jardim do Éden. Nossa queda teve dimensão cósmica, porque Deus disse: — Você, humanidade, comeu a fruta da árvore que eu o proibi de comer. Por causa do que você fez, a terra será maldita. Você terá de trabalhar duramente a vida inteira a fim de que a terra produza alimento suficiente para você (Gêneses 3:17). 

Então, tudo nessa terra ficou complicado por causa da desobediência da humanidade. Aliás, não era nem para a humanidade existir, porque ela rompeu com Deus, e Deus, para manter a Sua justiça, deveria ter aniquilado-a lá no Jardim do Éden. Nós só existimos por causa da graça de Deus. 

Por causa da graça, existimos. Por existir, somos diretamente afetados pela maldade que há no mundo. Então, a gente só experimenta o mal, porque a humanidade desobedeceu a Palavra de Deus e escolheu o mal. Por isso é que acontecem coisas ruins nesse mundo: é porque a humanidade escolheu ser má. Deus não é o culpado disso, pelo contrário, Ele havia planejado um paraíso para nós! 

Se a queda no Jardim do Éden havia comprometido a existência da humanidade, logo, existir é um ato de redenção. Antes de Deus decretar a criação do Universo, Ele já ponderava que o homem, pela sua livre escolha, poderia escolher o fruto proibido e, por causa disso, teria que deixar de existir. Mas Deus quis que continuássemos existindo. Então, para poder manter a humanidade existindo, o Pai, o Filho e o Espírito Santo prepararam o 'plano B' da redenção. 

Quando Deus começou a criação do Universo, Ele disse: Haja luz! E houve luz. Isso aconteceu porque o plano da redenção já estava preparado. Convenhamos, não valeria à pena criar o mundo e nele colocar as criaturas para pecarem e serem destruídas logo em seguida. Então, a graça de Deus, representada pelo plano da redenção, já existia antes da criação de todas as coisas. 

Imagine o grande avião A380 no ar. Imagine que todas as pessoas, inclusive nós, dentro desse avião representassem a criação de Deus. Imagine que o avião fosse Deus. Em Deus vivemos, em Deus nos movemos, em Deus existimos. Agora, imagine que todas as pessoas resolvessem pular fora do avião, inclusive nós. Isso significa que de Deus nos extraviamos. 

Quando as pessoas entraram nesse avião imaginário, Deus, o fabricante do avião, já havia ponderado que elas poderiam querer pular fora. Ocorre que Deus, pela Sua bondade, também já havia decidido que manteria as pessoas vivendo, mesmo que elas pulassem fora. Então, para evitar que as pessoas se espatifassem, Deus jogou o pára-quedas. Isso é graça! 

A nossa queda teve efeito cósmico. Já que a humanidade escolheu o mal, Deus poderia ter abandonado o Universo, fazendo com que tudo, inclusive a nossa vida, tivesse perdido o sentido. Mas isso não aconteceu e, pelo contrário, tudo nesse mundo faz sentido porque contamos com a graça de Deus. É por isso que Paulo disse que pela graça somos salvos. 

Portanto, quando se fala da graça de Deus, está se falando de um grande milagre. A existência da humanidade é um grande milagre de Deus. A humanidade só existe porque Deus executou o seu 'plano B' da redenção. O 'plano B', a graça de Deus, foi o 'para-quedas' que nos salvou. 

Você acredita que foi resgatado pela graça de Deus? Se não, corra e segure o para-quedas da Sua graça e seja salvo, porque a vida terrena é muito curta e você tem uma vida eterna que depende da sua escolha agora!  


Na próxima devocional vamos mostrar a justiça de Deus. Deus é bom, mas também é justo. Não perca!