quarta-feira, 22 de junho de 2011

Super-homens; Supermulheres

Jesus respondeu: — Por que você me chama de bom? Só Deus é bom, e mais ninguém. (Marcos 10:18) Eles sabem quem Deus é, mas não Lhe dão a glória que Ele merece e não Lhe são agradecidos. Pelo contrário, os seus pensamentos se tornaram tolos, e a sua mente vazia está coberta de escuridão. (Romanos 1:21)

Super-Homem é um termo originado do alemão 'Übermensch', descrito no livro 'Assim Falou Zaratustra' (Also sprach Zarathustra), do filósofo alemão Friedrich Nietzsche, em que explica os passos mediante os quais o Homem pode tornar-se um 'Super-Homem'. A motivação de Nietzsche ao dizer em seu livro que Deus está morto é o desejo pela destruição da consciência cristã. Segundo esse filósofo, somente rompendo com as normas idealistas cristãs um homem pode tornar-se um "Além-do-Homem" (Übermensch). Ou seja, se você é um super-homem, você não precisa de Deus. A crença em Deus é contrária aos valores de realidade e de vida Nietzsche.

Muitos adultos professam em alto e bom som que podem ser ‘bons sem Deus’. Eles não chegam a se declararem super-homens ou supermulheres, mas, no fundo, gostariam de sê-los e incentivam seus filhos a isso.

Eu tenho uma compreensão bastante clara do que essas pessoas estão tentando dizer. Elas não mataram ninguém. Elas trabalham honestamente. Elas respeitam os pais, os mais velhos, as leis... Elas contribuem para a comunidade, são compassivas, doam para instituições de caridade, etc. Ou seja, mesmo sem confessarem que Deus é o Senhor da vida delas e sem ter um coração grato ao Criador, elas se acham bons cidadãos. Pior, é que cada vez mais aparecem pessoas pensando assim. Para mim, eles querem ser os super-homens e as supermulheres.

Porém, o problema surge quando começamos a investigar o que realmente significa ser bom. Quem define o que é ser bom? Com que autoridade isso é definido? O homem natural, quando afirma ser ‘bom sem Deus’, na verdade, ele está dizendo que se autonominou como ‘bom’ segundo os seus próprios conceitos e segundo os princípios humanos que regem a vida em sociedade.

Tudo bem! Se Jesus Cristo não ressuscitou dos mortos e todas as alegações da Bíblia são irrelevantes, então o homem natural está livre para viver como quiser, sem precisar prestar contas a nenhum ser sobrenatural. É exatamente isso o que muitos homens e mulheres desejam. Entretanto, a história comprova o contrário: Jesus Cristo ressuscitou e a Bíblia tem razão. E se a Bíblia tem razão, então Deus existe, nos mantém vivos e a Ele devemos prestar contas.

Em vista disso, a tentativa de o homem natural definir o que é ‘ser bom’ não tem nenhum efeito sobre o que é realmente ‘ser bom’, na perspectiva divina. Romanos 1:18-32 fala claramente que o desejo do homem natural de determinar por si próprio o que é bom é algo que Deus ridiculariza.

Realmente é ridícula uma criatura, que não fez a si mesma, que não pediu para nascer, e nem sabe quando vai morrer, passar a sua vida terrena criando suas próprias regras, fingindo que Deus não existe, que Suas normas não existem e que as testemunhas bíblicas são mentirosas.

A pergunta é bem simples: Pode uma pessoa ser considerada ‘boa’ quando ela é ingrata com quem a criou e a mantém? Claro que não! Uma pessoa que quer ‘ser boa’ tem que começar, no mínimo, a ser grata com quem a criou e com quem a mantém viva. Aparentemente insignificante e opcional, a gratidão é o teste decisivo para saber se uma pessoa está buscando ter um bom caráter.

Logo, se Deus existe, então você deve começar a ser grato com Ele. E ser grato com Ele é dar glórias a Ele. É reconhecer a Sua grandeza, honra, esplendor, magnificência, mérito, valor, etc. É reconhecer a sua dependência dEle.

Você está tentando ‘ser bom’ sem Deus? Digo a você que isso é impossível, pois nem Jesus Cristo, o filho de Deus, se achava bom: ‘Jesus respondeu: — Por que você me chama de bom? Só Deus é bom, e mais ninguém’. (Marcos 10:18) Alguém só pode começar a ‘ser bom’ se aproximar-se de Deus com fé, pois ‘sem fé ninguém pode agradar a Deus, porque quem vai a Ele precisa crer que Ele existe...’ (Hebreus 11:6)


Qual é o nível de sua fé e gratidão para com o Criador e Mantenedor? Você acredita que só a Palavra de Deus pode definir o que é ‘ser bom’? Ou você está tentando ser um super-homem ou uma supermulher, criando suas próprias regras?

2 comentários :

  1. Olavo Feijó23 junho, 2011

    Em Daniel 2, o rei Nabucodonosor teve um sonho que o atormentou. O Senhor revelou a Daniel a interpretação do sonho. O rei da Babilônia vira uma enorme estátua, feita de ouro, prata, bronze, mas com pés de ferro e barra. Parte da interpretação de Daniel descreveu a fragilidade da estátua: "Uma pedra soltou-se, sem auxílio de mãos, atingiu a estátua nos pés de ferro e barro e os esmigalhou" (Daniel 2:34).

    A mensagem do Senhor diz que somos frágeis. Por mais que coloquemos ferro em nossas bases, não conseguimos reforçar o barro de que somos feitos. Fomos feitos do "pó da terra". Por mais que usemos ouro, prata e bronze no resto da estrutura, nosso fundamento será esmigalhado e nós, com ele.

    Séculos depois, Jesus pregou Sua mensagem e afirmou: aquele que ouvir e obedecer os Meus mandamentos construirá sua casa em rocha sólida e ela não será abalada. Para aceitar e obedecer ao Senhor Jesus, entretanto, é essencial que reconheçamos a fragilidade dos nossos "pés de barro". Arrependimento é o reconhecimento da própria fragilidade. Fé é a aceitação dos alicerces dados por Jesus. É assim que não seremos destruídos pelo nosso barro.

    ResponderExcluir
  2. Frederico Conson15 julho, 2011

    Boa tarde Elbem, recebo o Devocional por e-mail faz algum tempo, e sempre acho um tempo para ler, pois aprendo muito com os seus textos.

    ResponderExcluir