segunda-feira, 13 de junho de 2011

Deus é Bom, Muito Bom, Bom Demais!

O Senhor é a nossa rocha; ele é perfeito e justo em tudo o que faz. Ele é fiel e correto e julga com justiça e honestidade. (Deuteronômio 32:4)

Deus é justo. Justiça é um valor constituinte do caráter de Deus. Abraão chamou Deus de ‘o justo juiz’. A queda da humanidade no Jardim do Éden foi o rompimento com Deus e a consequente assunção do mal. Ou seja, a gente assumiu o mal. E isso, foi um crime contra Deus e, portanto, contra a existência. Foi um suicídio radical. A pena para esse crime era deixar de existir. Logo, esse crime não pode ser pago pelo criminoso.

Quando um país tem pena de prisão perpétua, o que o país está dizendo para o criminoso é o seguinte: O seu crime foi tão horrível que você nunca vai pagar o que deve para a sociedade. Enquanto você viver, você vai ficar na cadeia. Você não tem como pagar o que você fez. Imagine se a pena pelo crime é deixar de existir. Aí que ele não vai pagar mesmo! Nem existe mais! Não é verdade?

Se Deus é justo, e o criminoso não pode pagar pelo seu crime, e Deus quer manter o criminoso vivo, então Deus tem que ser responsabilizado. É isso mesmo! Deus é o responsável. Essa frase pode parecer forte, mas se Deus não satisfizer a justiça, não pode ser gracioso, porque senão Ele vai negar a si mesmo, o que é impossível, porque Deus não pode deixar de ser justo. Calma, vou explicar melhor! Leia com atenção a seguinte a história:

Sabendo que não foi mediante coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados do vosso fútil procedimento que vossos pais vos legaram, mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo, conhecido, com efeito, antes da fundação do mundo. (1 Pedro 1:18-20)

Como é que o sangue de Jesus pôde ser conhecido antes da fundação do mundo? Imagine uma reunião da Santíssima Trindade:

O Pai diz: – Olha, vamos criar o mundo. Vamos criar o homem à nossa imagem semelhança.

O Espírito Santo diz: – Mas nós vamos criá-lo livre mesmo?

O Pai diz: – Sim, porque nós vamos criá-lo à nossa imagem e semelhança. Nós somos livres, eles vão ser livres.

Aí o Espírito diz: – A liberdade deles vai se voltar contra nós!

E o Pai diz: – É verdade!

O Espírito diz: – Mas se a liberdade deles se voltar contra nós, eles vão deixar de existir, porque nós somos o lugar onde eles podem existir, não tem como eles existirem fora da gente. Eles vão deixar de existir! Não vale a pena criá-los para deixar de existir no próximo momento.

O Pai diz: – Bom, nós podemos mantê-los existindo!

O Espírito diz: – Não podemos, porque aí nós vamos quebrar a justiça! Eles vão tomar uma decisão pela sua própria vontade! Isso é crime! Eles vão ter que ser punidos! E a punição deles é deixar de existir!

E o Pai diz: – Bom, nós podemos nos responsabilizar por eles.

O Espírito diz: – Mas isso significa que um de nós, agora, tem que abandonar a glória, assumir a forma de servo, estar pronto para oferecer-se a eles agora, antes de nós fazermos todas as coisas, e depois manifestar isso na história deles para eles o imolarem, para eles o matarem em sacrifício pelos pecados deles.

E aí o Filho que estava participando da conversa o tempo todo disse: – Eu. Eu vou! Deixa comigo! 

E naquele instante se conheceu o sangue do Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Por esse ato do Filho, sabendo que isso lhe custaria muito caro, Deus manteve o seu caráter de justiça e provou a sua infinita bondade. 

Você crê nisso? Então você pode dar glória a Jesus Cristo, pois, por meio dele, Deus criou tudo, no céu e na terra, tanto o que se vê como o que não se vê, inclusive todos os poderes espirituais, as forças, os governos e as autoridades. Por meio dele e para ele, Deus criou todo o Universo. (Colossences. 1:16)

Entendeu agora, porque todas as coisas foram criadas em Cristo, com Cristo e para Cristo? Porque se Ele não tivesse entregue a si mesmo antes da fundação do mundo, não haveria fundação e não existiria nada do que se vê.

Portanto, o sacrifício do Senhor Jesus Cristo começa antes da criação do mundo, por decreto, foi o que disse o Dr. Russel Shedd. E culmina na história com o cordeiro pascal sendo imolado pelos homens.

Por isso, todos que são salvos dizem com convicção: Deus é bom, Deus é muito bom, Deus é bom demais!


Você consegue dizer isso?