sexta-feira, 13 de maio de 2011

Viver, Faz Sentido! - Parte II

Portanto, sejam perfeitos, assim como é perfeito o Pai de vocês, que está no céu. (Mateus 5:48). Desse modo todos nós chegaremos a ser um na nossa fé e no nosso conhecimento do Filho de Deus. E assim seremos pessoas maduras e alcançaremos a altura espiritual de Cristo. (Efésios 4:13). Pois Deus, que cria e sustenta todas as coisas, fez o que era apropriado e tornou Jesus perfeito por meio do sofrimento. Deus fez isso a fim de que muitos, isto é, os seus filhos, tomassem parte na glória de Jesus. Pois é Jesus quem os guia para a salvação. (Hebreus 2:10)

Na parte I dessa devocional, nós mostramos que o propósito da vida, segundo a ótica de nosso criador Deus, é glorificá-Lo em tudo que fizermos, em todo tempo. Agora, vamos concluir explicando que devemos continuamente glorificá-Lo até atingirmos a estatura de varão perfeito como foi Jesus Cristo. Quando será isso, não sabemos, mas devemos perseguir essa meta, não obstante nossos inúmeros erros.

Não importa que você erre. Não importa que você tenha momentos de desânimo. O importante é que você vá eliminando o maior número de defeitos que você tem. Você não vai conseguir eliminar todos os seus defeitos até o fim de sua vida, mas se eliminar, pelo menos, um, já é negócio. Não desperdiçou (tanto) a vida.

O mal é que as pessoas, em geral, passam a vida toda com os mesmos defeitos. A pessoa morre aos 80 anos com os mesmos defeitos que tinha aos 20 anos. A pessoa passou a vida toda sendo egoísta, por exemplo, ou intolerante e preconceituosa, ou desonesta, agressiva, ciumenta, fofoqueira, medrosa, ingrata, revoltada, esnobe, invejosa, etc. Enfim, jogou a vida fora, perdeu a oportunidade de se livrar desses pesos que só prejudicam a pessoa, que impedem a pessoa de ser (mais) feliz. Isso é o que mais acontece. A vida passou e a pessoa não mudou. Porque estudar, casar, trabalhar, ter filhos, se divertir, fazer sexo, comer, beber, ver televisão, festejar aniversário... são coisas banais, corriqueiras, que todos fazem. Não há nada de especial nisso. 

Mas imagine uma pessoa aos 40, 50 ou 60 anos, por exemplo, aprender a ser grata à vida, a tudo e a todos. Imagine-a, num determinado momento de sua vida, percebendo a importância desse sentimento: a gratidão. Imagine uma mulher, depois de 15 anos de casamento, deixar de ser ciumenta em relação ao marido, porque ela percebeu, mediante a busca da verdade, que não tem nada a ver ser ciumenta, que ela não ganha nada com isso, etc. Imagine um homem que sempre foi desonesto em seus negócios deixar de ser assim, porque, num belo dia, uma luz (a Verdade) brilhou em sua vida. Imagine uma pessoa que sempre foi triste e pessimista, de repente, se tornar uma pessoa alegre e otimista. Imagine uma pessoa que nunca ajudou ninguém, um dia, perceber que não pode levar uma vida assim e, então, passa a ajudar as pessoas. 

A Terra é uma escola, mas uma escola espiritual. Por trás de tudo o que acontece e que vivenciamos, aqui neste planeta, está o espiritual. E tudo deve visar ao aperfeiçoamento da nossa Salvação, até que cheguemos à estatura de varão perfeito. O que não visa o crescimento espiritual não beneficia, é estéril, é seco, morre. O que você faz nesse curto intervalo de vida terrena determinará a sua vida na eternidade.

E a estatura de varão perfeito é atingida quando nós cumprimos o propósito para a qual Deus nos criou: glorificá-Lo. '...eu os criei e lhes dei vida a fim de que mostrem a minha glória'. (Isaías 43:7). Quando percebemos que Deus nos criou para glorificá-Lo, e quando passamos a agir a fim de cumprir esse propósito, então começamos a experimentar uma intensidade de alegria no Senhor que antes não conhecíamos.

Quando passamos a apreciar a natureza de Deus como o Criador infinitamente perfeito que merece todo louvor, nosso coração então não descansa enquanto não lhe damos glória e o amamos de todo o coração, com toda a alma, com toda a mente e com todas as forças. A vida só vale a pena se você buscar atingir essa meta, tendo sempre em mente o propósito da vida. Em suma, o sentido da vida é glorificar a Deus em tudo que fizermos, em todo momento, até atingirmos a estatura de varão perfeito.

Portanto, meus irmãos, por causa da grande misericórdia divina, peço que vocês se ofereçam completamente a Deus como um sacrifício vivo, dedicado ao seu serviço e agradável a ele. Esta é a verdadeira adoração que vocês devem oferecer a Deus. Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança da mente de vocês. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a ele. (Romanos 12:1-2)