quarta-feira, 27 de abril de 2011

Desejo Ardente

Sejam como criancinhas recém-nascidas, desejando sempre o puro leite espiritual, para que, bebendo dele, vocês possam crescer e ser salvos. (1 Pedro 2:2) 

Desejo é uma palavra de vontade intensa. De acordo com este texto, o tipo de apetite que temos que ter da Palavra de Deus é o de uma criança recém-nascida, desesperada para se alimentar. Pedro não está falando sobre ser crianças em Cristo. Isso não é o seu ponto. Ao contrário, ele está simplesmente falando sobre a fome. Ele está falando sobre o desejo da Palavra de Deus. 

A palavra grega aqui ‘epipotheo’ significa 'fortemente', ou seja, desejar ardentemente e até mesmo morrer de desejo. Ter fome é natural, todos os seres vivos anseiam por nutrição. Se a fome não estiver presente na nossa vida, é porque algo está errado. 

Curiosamente, Pedro recomenda primeiro abandonar as impurezas para depois desejar a pureza. E o que ele menciona nesta passagem não são os ‘pecados escandalosos’, pelo contrário, são os ‘pecadinhos’ comuns que destroem as relações sociais. Ele diz: ‘Portanto, abandonem tudo o que é mau, toda mentira, fingimento, inveja e críticas injustas’ (v.1) Estes são os pecadinhos que prejudicam a aceitação mútua entre as pessoas e nos separa de Deus. 

Certa vez ouvi alguém dizer que esses pecadinhos não são problemáticos porque são tolerados em nossa sociedade; são pecadinhos que todos cometem. Às vezes podemos pensar que são pequenos e inofensivos, mas não é assim que dizem as Escrituras. Vejamos as recomendações de Pedro neste texto: ‘somos a raça escolhida, os sacerdotes do Rei, a nação completamente dedicada a Deus, o povo que pertence a Ele’. Fomos ‘escolhidos para anunciar os atos poderosos de Deus, que nos chamou da escuridão para a Sua maravilhosa luz’. (v.9). Portanto, segundo Pedro, devemos desejar ardentemente: 

Evitar as paixões carnais – devemos evitar as paixões carnais que estão sempre em guerra contra a alma. (v.11) As paixões carnais causam cobiças, mentiras, fingimentos, invejas, que por sua vez causam críticas injustas e ofensivas; 

Evitar praticar o mau – A nossa conduta deve ser boa, para que, se porventura formos acusados de criminosos, sejamos absolvidos por praticarmos boas ações, e assim louvemos a Deus no dia da sua vinda. (v.12). Não gastemos além do que podemos pagar, p. ex. Honremos nossos compromissos e nossas palavras; 

Evitar desrespeitar as leis – Por causa do Senhor, sejamos obedientes a toda autoridade humana... (v.13-14). Obedeçamos às leis de trânsito, cíveis, criminais, familiares, etc...; 

Evitar ter o ‘rabo preso’ – Vivamos como pessoas livres. Não usemos a liberdade para encobrir o mal, mas vivamos como escravos de Deus. (v.16). Não escondemos o erro, não testemunhemos falsamente por ter o ‘rabo preso’. Afastemo-nos dos que praticam o mau; 

Evitar desrespeitar as pessoas – Respeitemos todas as pessoas, amemos os irmãos, temamos a Deus... (v.17). Tratemos as pessoas com educação. Não façamos discriminação e nem acepção de pessoas. Respeitemos a todos igualmente; 

Evitar ser mau empregado – Empregados, sejamos obedientes aos patrões e os respeitemos, não somente os que são bons e compreensivos, mas também aqueles que nos tratam mal. (v.18); 

Evitar agir desonestamente – custe o que custar, sejamos honestos e corretos em tudo. E se nós sofremos por terem sido honestos e suportamos esse sofrimento com paciência, Deus nos abençoará por causa disso, pois foi para isso que ele nos chamou. O próprio Cristo sofreu por nós e deixou o exemplo, para que sigamos os seus passos. (v.20-21) 

A verdade é que quando desinteressamos pelo puro leite espiritual – a Palavra de Deus – temos um sinal claro que estamos perdendo o zelo pelos mandamentos de Cristo. E isso é um indicador de que esses ‘pecadinhos’ ainda estão nos roubando a nutrição espiritual. 

Pedro falou também como um bom médico. Ele apontou os problemas da nossa saúde espiritual, mas deu, no final do texto, a solução. A verdadeira solução para vencermos esses pecadinhos é seguirmos a Jesus Cristo. O próprio Cristo levou os nossos pecados no Seu corpo sobre a cruz a fim de que morrêssemos para o pecado e vivêssemos uma vida correta. Por meio dos ferimentos dEle nós fomos curados. Éramos como ovelhas que haviam perdido o caminho, mas agora fomos trazidos de volta para seguir o Pastor, que cuida da nossa vida espiritual. (v.24-25) O preço que Ele pagou pelos pecados é o suficiente para termos o perdão, a limpeza e a fome renovada pela Palavra de Cristo! 

Se você tem um bom apetite pela Palavra de Deus e está desfrutando da alimentação diária de ler e meditar sobre a Sua verdade, agradeça a Ele por esse claro sinal de vida, saúde e maturidade. Se não, peça a Deus para abrir os seus olhos e veja o que pode estar tirando o respeito e o desejo ardente pela Sua Palavra.

4 comentários :

  1. Ronaldo Maria28 abril, 2011

    Não estou desconsiderando o seu texto, mas só resolvi adicionar um comentário.
    Evitar fazer as coisas que propõe, acho muito fácil, nem precisa de Deus para isso. Os espíritas são muito bons nisso, inclusive.
    Amar o próximo como a si mesmo, considero um desafio para este século.
    Cade o amor na igreja e no povo que se diz de Deus?
    Me lembro de alguma passagem dizer que é pelo amor que saberão que somos discípulos de Cristo.

    ResponderExcluir
  2. Arte Gráfica28 abril, 2011

    Eu fui muito abençoado com este devocional e uma bênção quero continuaar a receber

    Deus abençoe vcs continue assim despertando mas irmãos

    ResponderExcluir
  3. Jader Alves de Oliveira29 abril, 2011

    Sr. Elbem;
    Obrigado pelos textos da palavra de Deus que tem me enviado.
    Na oportunidade perguntei a um amigo evangélico se os mortos ouvem, ele me respondeu que não. Disse a ele que ouvem sim. Até mesmo podem falar. O Sr. pode confirmar isso?
    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Sergio Fernandes12 maio, 2011

    Sabemos pela doutrina bíblica que nossa salvação não ocorreu por acaso. Antes da criação do mundo, Deus já escolheu cada um de nós. Fazemos parte de um plano eterno, onde o Criador decidiu nos separar para ser dEle.

    Todas as vezes que me sinto triste, trago a memória esta verdade tão preciosa: sou escolhido por Deus. Ele fez uma escolha pessoal e consciente de que eu seria dEle. Se houve tamanho investimento em mim, não devo eu viver meus dias com um profundo sentimento de gratidão?

    Deus te escolheu! Não pare e não desista! Ele não abandonará você!

    ResponderExcluir