quarta-feira, 27 de abril de 2011

Desejo Ardente

Sejam como criancinhas recém-nascidas, desejando sempre o puro leite espiritual, para que, bebendo dele, vocês possam crescer e ser salvos. (1 Pedro 2:2) 

Desejo é uma palavra de vontade intensa. De acordo com este texto, o tipo de apetite que temos que ter da Palavra de Deus é o de uma criança recém-nascida, desesperada para se alimentar. Pedro não está falando sobre ser crianças em Cristo. Isso não é o seu ponto. Ao contrário, ele está simplesmente falando sobre a fome. Ele está falando sobre o desejo da Palavra de Deus. 

A palavra grega aqui ‘epipotheo’ significa 'fortemente', ou seja, desejar ardentemente e até mesmo morrer de desejo. Ter fome é natural, todos os seres vivos anseiam por nutrição. Se a fome não estiver presente na nossa vida, é porque algo está errado. 

Curiosamente, Pedro recomenda primeiro abandonar as impurezas para depois desejar a pureza. E o que ele menciona nesta passagem não são os ‘pecados escandalosos’, pelo contrário, são os ‘pecadinhos’ comuns que destroem as relações sociais. Ele diz: ‘Portanto, abandonem tudo o que é mau, toda mentira, fingimento, inveja e críticas injustas’ (v.1) Estes são os pecadinhos que prejudicam a aceitação mútua entre as pessoas e nos separa de Deus. 

Certa vez ouvi alguém dizer que esses pecadinhos não são problemáticos porque são tolerados em nossa sociedade; são pecadinhos que todos cometem. Às vezes podemos pensar que são pequenos e inofensivos, mas não é assim que dizem as Escrituras. Vejamos as recomendações de Pedro neste texto: ‘somos a raça escolhida, os sacerdotes do Rei, a nação completamente dedicada a Deus, o povo que pertence a Ele’. Fomos ‘escolhidos para anunciar os atos poderosos de Deus, que nos chamou da escuridão para a Sua maravilhosa luz’. (v.9). Portanto, segundo Pedro, devemos desejar ardentemente: 

Evitar as paixões carnais – devemos evitar as paixões carnais que estão sempre em guerra contra a alma. (v.11) As paixões carnais causam cobiças, mentiras, fingimentos, invejas, que por sua vez causam críticas injustas e ofensivas; 

Evitar praticar o mau – A nossa conduta deve ser boa, para que, se porventura formos acusados de criminosos, sejamos absolvidos por praticarmos boas ações, e assim louvemos a Deus no dia da sua vinda. (v.12). Não gastemos além do que podemos pagar, p. ex. Honremos nossos compromissos e nossas palavras; 

Evitar desrespeitar as leis – Por causa do Senhor, sejamos obedientes a toda autoridade humana... (v.13-14). Obedeçamos às leis de trânsito, cíveis, criminais, familiares, etc...; 

Evitar ter o ‘rabo preso’ – Vivamos como pessoas livres. Não usemos a liberdade para encobrir o mal, mas vivamos como escravos de Deus. (v.16). Não escondemos o erro, não testemunhemos falsamente por ter o ‘rabo preso’. Afastemo-nos dos que praticam o mau; 

Evitar desrespeitar as pessoas – Respeitemos todas as pessoas, amemos os irmãos, temamos a Deus... (v.17). Tratemos as pessoas com educação. Não façamos discriminação e nem acepção de pessoas. Respeitemos a todos igualmente; 

Evitar ser mau empregado – Empregados, sejamos obedientes aos patrões e os respeitemos, não somente os que são bons e compreensivos, mas também aqueles que nos tratam mal. (v.18); 

Evitar agir desonestamente – custe o que custar, sejamos honestos e corretos em tudo. E se nós sofremos por terem sido honestos e suportamos esse sofrimento com paciência, Deus nos abençoará por causa disso, pois foi para isso que ele nos chamou. O próprio Cristo sofreu por nós e deixou o exemplo, para que sigamos os seus passos. (v.20-21) 

A verdade é que quando desinteressamos pelo puro leite espiritual – a Palavra de Deus – temos um sinal claro que estamos perdendo o zelo pelos mandamentos de Cristo. E isso é um indicador de que esses ‘pecadinhos’ ainda estão nos roubando a nutrição espiritual. 

Pedro falou também como um bom médico. Ele apontou os problemas da nossa saúde espiritual, mas deu, no final do texto, a solução. A verdadeira solução para vencermos esses pecadinhos é seguirmos a Jesus Cristo. O próprio Cristo levou os nossos pecados no Seu corpo sobre a cruz a fim de que morrêssemos para o pecado e vivêssemos uma vida correta. Por meio dos ferimentos dEle nós fomos curados. Éramos como ovelhas que haviam perdido o caminho, mas agora fomos trazidos de volta para seguir o Pastor, que cuida da nossa vida espiritual. (v.24-25) O preço que Ele pagou pelos pecados é o suficiente para termos o perdão, a limpeza e a fome renovada pela Palavra de Cristo! 

Se você tem um bom apetite pela Palavra de Deus e está desfrutando da alimentação diária de ler e meditar sobre a Sua verdade, agradeça a Ele por esse claro sinal de vida, saúde e maturidade. Se não, peça a Deus para abrir os seus olhos e veja o que pode estar tirando o respeito e o desejo ardente pela Sua Palavra.