segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

A Bíblia Não é Uma ‘Colinha’

Ó Senhor Deus, ensina-me a entender as tuas leis, e eu sempre as seguirei. Dá-me entendimento para que eu possa guardar a tua lei e cumpri-la de todo o coração. (Salmo 119: 33-34) 

Meus jovens leitores, eu tenho uma confissão a fazer. Quando eu estava no ensino médio, eu odiava as aulas de Química. Eu detestava os laboratórios e os cheiros daqueles produtos horríveis. As aulas eram sem graça e ainda tinham os trabalhos práticos para serem feitos em casa. Como você pode ver, eu nunca fui um bom aluno nessa matéria. 

Em vez de estudar para as provas, eu preparava as minhas ‘colinhas’. Nos dias dos testes, eu sentava numa posição da sala na qual o bedel não podia me ver. Assim, fui levando a vida até conseguir passar e terminar o ensino médio. Eu pensava comigo: para que sofrer com essa matéria horrível, que não vou usar para nada, sendo que eu posso colar? 

Eu vim a perceber o meu erro logo mais tarde, quando tive que enfrentar o vestibular. Como não havia estudado nos anos anteriores, não sabia resolver nenhum problema de Química. Resultado, fui reprovado, tive que voltar para o cursinho. 

Às vezes nós gostamos de usar a Bíblia como ‘colinha’. Quando o mundo nos confronta com um problema ou dúvida, abrimos a Bíblia de qualquer maneira e gritamos: ‘Veja, a Bíblia diz que não se pode fazer isso..., ou, a Bíblia não diz nada contra, vamos fazer...’ 

A Bíblia é o Livro dos livros, é a Palavra de Deus. Ela não foi escrita para ser usada como uma ‘colinha’ nas horas de aperto. Se não estudarmos a Palavra de Deus como deve ser estudada, não vamos entender por que Jesus disse as coisas que disse. Se lemos a Bíblia sem meditar no que está escrito, sem observar o contexto das passagens, não vamos entender o recado de Deus para nós. Quando fazemos assim, somos realmente maus alunos. 

Tente pensar da seguinte forma: Antes que um médico possa estar apto para curar a doença de um paciente, ele primeiro precisa compreender a doença. Ele tem que entender a sua origem, o que ela afeta no corpo, que tipo de tratamento pode ser ministrado e qual a melhor medicação para o paciente. Se o médico não faz esse diagnóstico antes, ele pode acabar prejudicando o paciente, errando na dose dos remédios. 

Da mesma forma, Deus nos chama para ser médicos para os espiritualmente doentes. Sem entendermos as leis divinas, sem compreendermos o grande amor de Deus expresso nas Escrituras Sagradas e sem sabermos qual é o tratamento que Deus deixou receitado, nós vamos errar a dose. As consequências podem ser duas: ou não salvaremos almas, pois não as faremos verdadeiros discípulos de Jesus, ou as mataremos de vez, não as fazendo compreender o amor de Deus! 

E então, você tem estudado bem o plano de Deus para a salvação da humanidade? Quão frequentemente você estuda a Bíblia Sagrada? Você é um bom médico espiritual? Ou você costuma fazer colinhas bíblicas?