sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Jesus, supremo amor

Vai e não peques mais!

Erguendo-se Jesus e não vendo a ninguém mais além da mulher, perguntou-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou? Respondeu ela: Ninguém, Senhor! Então, lhe disse Jesus: Nem eu tampouco te condeno; vai e não peques mais. (João 8:10-11)

Jesus é a expressão do supremo amor de Deus para com a humanidade (I João 4:8-9). Jesus não veio para condenar o mundo, mas para salvar os seus habitantes da morte eterna, oferecendo, àqueles que crêem, uma vida terrena abundante, sem culpa e o caminho para uma vida eterna repleta de alegria, gozo e paz.

Os legalistas hipócritas, que aparentam ser perfeitos mas não são, pois não demonstram amor em suas atitudes, queriam testar se Jesus realmente era bondoso como tanto pregava, colocando-o numa situação complicada: se condenasse a mulher, não demonstraria amor; se a absolvesse, estaria descumprindo a lei e portanto poderia ser condenado a morrer também. Jesus sabiamente escapou da armadilha. (João 8:7-9)

Até hoje, esse tipo de condenação existe: Vejam o caso da iraniana Sakineh, 43 anos, mãe de dois filhos, condenada à morte por apedrejamento em 2006 por supostamente ter mantido relações sexuais com dois homens após a morte de seu marido. O mundo todo se comoveu com a situação dela.

Deus é amor! Só nEle encontramos a misericórdia que tanto falta em algumas pessoas que fazem apologia à violência e à revolta. Entretanto, o amor e o perdão de Deus não nos livra de sofrermos as conseqüências do nosso pecado. Se transgredimos a lei, estamos sujeitos às penalidades. Da mesma forma, se não nos arrependemos e permanecemos nas transgressões dos mandamentos Divinos, estamos sujeitos à condenação e à morte eterna. Por isso Jesus disse àquela mulher, com expressão de grande amor, mas também de importante recomendação de mudança de vida: “Nem eu tampouco te condeno; vai e não peques mais!” Como está sua vida com Deus?