sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Brincar ou não no Halloween?

Dia 31 de outubro é a data que se comemora o Halloween. Estamos diante de uma incógnita. Devemos ou não permitir que nossos filhos participem da Festa de Halloween? Afinal, o que é Festa de Halloween ou Dia das Bruxas?

“Os celtas acreditavam que na noite de 31 de outubro as leis do tempo e do espaço eram suspensas. Nesta data comemorava-se o ano novo dos feiticeiros. Por causa disto, os espíritos vagavam soltos e os mortos visitavam seus antigos lares para exigirem comida. Havia também no fim de outubro o festival da colheita, conhecido como "Samhain", também chamado de "O Senhor dos mortos", onde se faziam grandes fogueiras para assustar os espíritos. Para que estes fossem embora, as pessoas saiam pelas ruas carregando velas acesas e nabos esculpidos com rostos humanos, vestidos de modo mais assustador possível. Nos Estados Unidos o Halloween chegou no século 19, e o nabo foi substituído pela abóbora, fruto mais comum que o primeiro. Tanto o nabo quanto a abóbora são símbolos de imortalidade e juntando-se ao preto que significa a morte em muitas culturas, fazem o par perfeito para o ritualismo macabro e demoníaco. Na década de 20 a antiga tradição virou brincadeira e hoje é uma das principais festas do país. Crianças saem fantasiadas pelas ruas batendo nas portas, dizendo "trick or treat" literalmente travessuras ou bons tratos, para ganhar doces, tudo isto nos dia das bruxas.”

Não há dúvida de que a origem do Halloween é atribuída a crenças e rituais pagãos. Grupos satânicos estão ligados ao significado do Dia das Bruxas e celebra-os como um feriado especial. Muitos cristãos, principalmente nos países nórdicos, ainda diferem-se em seus pontos de vista se devem ou não participar das celebrações do Dia das Bruxas. Certamente, os cristãos não devem participar do "lado negro" de Halloween – lado que aprova o satânismo ou tem o foco na morte, no paganismo e no mal. Em vez disso, devem ter o coração grato a Deus pela provisão dada mediante uma boa colheita de alimentos ou modernamente falando, pela prosperidade material.

Na realidade, para muitas crianças, participar do Halloween significa diversão. Muitos pais dizem que o Halloween não tem qualquer ligação com práticas ocultistas e pagãs. Eu particularmente tenho muita dificuldade em dizer que não há nada de errado nisso.

Mas devemos ser sensatos. Vejamos o exemplo: Nós sabemos a verdadeira origem do Natal. Sabemos também que para muitas pessoas, o Natal é um feriado não-religioso. Cada pessoa dá ao Natal o seu próprio significado, independentemente de sua origem. Eu nunca diria que todos os que comemoram o Natal são seguidores de Cristo ou honram a Deus. O Dia das Bruxas, creio eu, é semelhante. As pessoas dão ao Halloween seus próprios significados, independentemente de suas origens. Logo, não é porque elas participam do Halloween, que significa necessariamente que estão promovendo ou incentivando práticas ocultistas e crenças pagãs.

Qualquer que for a sua convicção sobre o Halloween, eu pergunto: será que Deus está sendo glorificado com a participação de um crente nessa festa?

Pelo jeito, os cristãos estão diante de dois caminhos que podem levar a extremos: isolar-se completamente e não participar do que ‘rola’ na comunidade ou mergulhar-se totalmente nas práticas culturais sem qualquer discernimento. Isso vale para qualquer festa pagã. Temos que ser sensatos e não deixarmos que os extremos venham destruir a obra de Deus na nossa vida. Analise você mesmo: O que você acha de um crente em Jesus Cristo participar do Halloween?