domingo, 29 de agosto de 2010

Obrigado, Senhor, pelas lágrimas

‘Não se turbe o vosso coração, credes em Deus, crede também em mim’ Jesus Cristo (João 14:1)

Obrigado, Senhor, pelas lágrimas: elas ajudam a lavar os nossos olhos e o nosso coração, limpam a nossa mente e clareiam os nossos pensamentos.

Hoje completa três dias que Deus ceifou a vida de meu amado irmão. A morte dele foi uma grande tragédia, a ponto que comover boa parte da sociedade brasiliense! Para Deus isso não importa, pois seja como for, morte significa separação do corpo! O importante para o Soberano é não passarmos pela morte da alma – a segunda morte, pois essa significa separação eterna da presença do Todo Poderoso. E pela segunda morte meu irmão não passará, pois ele era um homem temente a Deus, íntegro, honesto e trabalhador!

Porém, isso nos trouxe momentaneamente grande tristeza. Os gregos diziam que a tristeza servia para purificar e edificar, e trazia à luz os verdadeiros motivos e os verdadeiros valores. Graças a Deus que nos faz passar por algumas provas e sofrimentos, para fazer brotar a doçura e o que há de melhor em nós.

É como se uma mão gigantesca espremesse um favo fazendo o mel sair. Como Moisés quando bateu na rocha: isso feriu a rocha, mas dela brotou água! Como uma linda flor apertada e esmagada, mas dela sai o perfume! Como a linda música que sai da garganta do pássaro: quase parece que ele está sofrendo, mas o que sai é uma canção. Nós aprendemos muito através da tristeza, e algumas das lições mais preciosas que o Senhor nos ensina vêm de experiências difíceis e penosas.

‘Ele me dá alegria para a minha tristeza. Dá-me amor que afasta o temor. Ele me dá o sol na escuridão e beleza por cinzas, meu irmão!’ ‘Oh alegria que me buscas no sofrimento, abro a Ti o meu coração. Vejo o arco-íris na chuva e no vento, e na promessa encontro alento, que amanhã as lágrimas cessarão’.