terça-feira, 10 de julho de 2018

Derrota ou vitória

"…o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé." (1 João 5:4)

Todos os anos, a grande batalha de Waterloo é lembrada na Bélgica, lugar onde ela aconteceu. No dia 18 de junho de 1815, o exército francês de Napoleão foi derrotado por uma força multinacional comandada pelo duque de Wellington. Desde então, a frase “encontrar sua Waterloo” passou a significar “ser derrotado por alguém forte demais para você enfrentar ou por um problema muito difícil para você”. 


No tocante à nossa vida espiritual, algumas pessoas sentem que o fracasso final é inevitável e é apenas uma questão de tempo até que cada um de nós “encontre a sua própria Waterloo”. Porém, João refutou essa visão pessimista ao escrever aos seguidores de Jesus: “…todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé”.

João tece esse tema de vitória espiritual ao longo da sua primeira carta ao nos exortar a não amar as coisas que este mundo oferece e que logo desaparecerão (2:15-17). Em vez disso, devemos amar e agradar a Deus, “e esta é a promessa que ele mesmo nos fez, a vida eterna” (2:25).

Embora possamos ter altos e baixos na vida, e até mesmo algumas batalhas que parecem ser derrotas, a vitória definitiva é nossa em Cristo ao confiarmos em Seu poder. — David C. McCasland

A saída para os problemas é confiar em Deus o tempo todo.

domingo, 1 de julho de 2018

Honestidade chocante

"…tratai-a com dignidade […] para que não se interrompam as vossas orações." (1 Pedro 10:7)

Quando o pastor pediu a um dos presbíteros para conduzir a congregação em oração, o homem chocou a todos. “Sinto muito, pastor”, disse ele, “mas estive discutindo com minha mulher ao longo de todo o caminho até a igreja e não tenho condições de orar”. O momento seguinte foi incômodo. O ministro orou. O culto seguiu em frente. Mais tarde, o pastor prometeu nunca mais pedir a alguém para orar publicamente sem antes perguntar em particular. 

Aquele homem demonstrou uma surpreendente honestidade num lugar em que teria sido mais fácil ser hipócrita. Mas aqui há uma lição maior acerca de oração. Deus é um Pai amoroso. Se eu, como marido, não respeitar e honrar a minha mulher — uma filha querida de Deus —, por que seu Pai celestial ouviria as minhas orações? 

O apóstolo Pedro fez uma observação interessante acerca disso. Ele instruiu os maridos a tratarem suas esposas com respeito e como herdeiras iguais em Cristo, “…para que não se interrompam as vossas orações” (1 Pedro 3:7). O princípio subjacente é que os nossos relacionamentos afetam a nossa vida de oração. 

O que aconteceria se trocássemos os sorrisos de domingo e a fachada de religiosidade por uma refrescante honestidade com nossos irmãos e irmãs? O que Deus poderá fazer por meio de nós quando orarmos e aprendermos a amar uns aos outros como amamos a nós mesmos? — Tim Gustafson 

A oração é simplesmente uma conversa honesta com Deus.

segunda-feira, 25 de junho de 2018

Remando para casa

"…esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão…" (Filipenses 3:13) 

Eu gosto de Ripchip, o ratinho falante durão na série As crônicas de Nárnia de C. S. Lewis, (Ed. Martins Fontes 2005). Determinado a alcançar o “Oriente absoluto” e juntar-se ao grande leão Aslan [simbólico de Cristo], Ripchip declara sua determinação: “Enquanto eu puder, navegarei para leste no Peregrino da Alvorada. Quando ele me falhar, remarei para leste em meu barquinho de vime. Quando ele afundar, remarei para leste com minhas quatro patas. Então, quando não mais conseguir nadar, se ainda não tiver atingido o País de Aslam, afundarei com meu nariz apontando para o nascer do sol.” 

Paulo disse de outro modo: “Prossigo para o alvo…” (Filipenses 3:14). Seu objetivo era ser como Jesus. Nada mais importava. Ele admitia ter muito terreno a cobrir, mas não desistiria até atingir aquilo para o que Jesus o havia chamado.

Nenhum de nós é o que deveria ser, mas podemos, como o apóstolo, nos esforçar e orar por esse objetivo. Como Paulo, sempre diremos: “Ainda não cheguei.” Não obstante, a despeito de fraqueza, fracasso e cansaço, precisamos prosseguir (v.12). Mas tudo depende de Deus. Sem Ele, nada podemos fazer!

Deus está com você, chamando-o para seguir em frente. Continue remando! — David H. Roper

Deus provê o poder de que necessitamos para perseverar.

sábado, 9 de junho de 2018

Há um propósito para a sua vida

"…se alguém serve, faça-o na força que Deus supre, para que, em todas as coisas, seja Deus glorificado…" (1 Pedro 4:11)


Em um dia ensolarado, eu vi de longe uma mulher em pé ao lado de um semáforo, segurando uma placa. Ao aproximar-me com o carro, tentei ler o que a placa dizia, presumindo ser um pedido de comida ou dinheiro. Em vez disso, me surpreendi ao ver estas palavras:

“Há um propósito para a sua vida.”

Deus criou cada um de nós para um propósito específico. Em primeiro lugar, esse propósito deve trazer-lhe honra, e uma maneira de fazer isso é satisfazer às necessidades dos outros (1 Pedro 4:10,11).

Uma mãe de crianças pequenas pode encontrar um propósito ao limpar narizes escorrendo e contar aos seus filhos sobre Jesus. Um funcionário num emprego insatisfatório pode encontrar o seu propósito fazendo seu trabalho diligentemente, lembrando-se de que é ao Senhor que está servindo (Colossenses 3:23,24). Uma mulher que perdeu a visão ainda encontra propósito em orar por seus filhos e netos e influenciá-los a confiarem em Deus. Numa comunidade, em uma igreja, em um clube social, onde você estiver, você pode servir e ajudar alguém necessitado próximo de você.

O Salmo 139 afirma que, antes de nascermos, “…no teu livro foram escritos todos os meus dias…” (v.16). Somos formados “…por modo assombrosamente maravilhoso…” para trazer glória ao nosso Criador (v.14). Certamente, servirmos ao próximo é um motivo de glória para Deus.

Jamais esqueça: Há um propósito para a sua vida!

Mesmo quando tudo parece não ter significado, Deus tem um propósito para a sua vida.