sexta-feira, 14 de julho de 2017

Escolha com sabedoria

Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? (Mateus 16:26) 
Deus quer que os jovens se tornem pessoas de espírito zeloso, a fim de estarem preparados para a ação em Seu nobre trabalho e serem aptos a assumir responsabilidades. Deus chama jovens de coração incorruptível, fortes, valorosos e determinados a combater corajosamente na luta que se acha diante deles, a fim de glorificarem a Deus e beneficiarem a humanidade. Se a juventude fizesse da Bíblia o seu estudo, acalmasse seus impetuosos desejos e ouvisse a voz de seu Criador e Redentor, não só estaria em paz com Deus, mas ela própria se acharia enobrecida e elevada. É de interesse eterno para você, meu jovem amigo, atender às instruções da Palavra de Deus, pois elas são de inestimável importância para você.

Rogo-lhe que seja prudente e considere qual será o resultado de levar vida desregrada, não regida pelo Espírito de Deus. “Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia para a sua própria carne colherá corrupção” (Gl 6:7, 8). Por amor de sua salvação, por amor de Cristo, que deu a Si mesmo para salvá-lo da ruína, pare agora no começo de sua vida e pese bem suas responsabilidades, suas oportunidades e suas possibilidades. Deus lhe deu oportunidade de ter um alto destino. Sua influência pode pesar na balança em favor da verdade de Deus; você pode ser um cooperador dEle na grande obra da redenção humana. […]

Se os jovens pudessem apreciar o alto destino a que são chamados! Considere bem os caminhos de seus pés. Comece sua obra com elevado e santo propósito e esteja decidido, mediante o poder da graça divina, a não se desviar do caminho da retidão. Se começar a ir em direção errada, cada passo será cheio de perigo e desastre, e continuará a afastar-se da verdade, da segurança e do sucesso. Você precisa que o intelecto seja fortalecido; e as energias morais, vivificadas pelo poder divino.

A causa de Deus requer as mais elevadas capacidades do ser e, em muitos campos, há urgente necessidade de jovens com a habilidade de escrever. Há necessidade de pessoas a quem se possa confiar o trabalho em extensos campos que hoje estão prontos para a colheita. Jovens de aptidões comuns, que se entreguem completamente a Deus e não sejam contaminados por vícios e impurezas, terão sucesso e serão habilitados a fazer um grande trabalho para Deus.

domingo, 25 de junho de 2017

Mães, não se preocupem

"Então, dirigindo-se aos seus discípulos, Jesus os exortou: “Portanto, vos afirmo: não andeis preocupados com a vossa própria vida, quanto ao que haveis de comer, nem muito menos com o vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Porquanto a vida é mais preciosa do que o alimento, e o corpo, mais importante do que as roupas. Observai os corvos, os quais não semeiam, nem ceifam, não possuem armazéns nem celeiros; contudo, Deus os alimenta. Quanto mais valeis vós do que as aves! Quem de vós, por mais ansioso que possa estar, é capaz de prolongar, por um pouco que seja, a duração da sua vida? Considerando que vós não podeis fazer nada em relação às pequenas coisas da vida, por que vos preocupais com todas as outras?" (Lucas 12.22-26) 

Que mãe não se preocupa com seus filhos? Faz parte da descrição do serviço toda mãe se preocupar se os seus estão seguros e sadios, se terão um bom emprego, estabilidade emocional, com quem vão casar e, entre as mães cristãs, se creem em Cristo - para remissão dos pecados e vida eterna - e se o terão como prioridade em suas vidas. Não é novidade, mãe que é mãe se preocupa. 

E nestes dias, onde a lista de preocupações cresce consideravelmente, Cristo lhes diz: Não se preocupem com sua própria vida, quanto ao que comer; nem com seu próprio corpo, quanto ao que vestir. A vida é mais importante do que a comida, e o corpo, mais do que as roupas (v. 22 e 23). 

A preocupação, que pode ser uma ansiedade mascarada, vem do nosso medo e do desejo de estar no controle, e o único meio de vencê-la é trazê-la para a luz. 

Lembre-se que a duração de nossas vidas já foi determinada pelo Senhor (Salmos 139.6). Não é algo que podemos controlar. Jesus nos afirma que por mais que nos preocupemos, nem uma hora sequer podemos acrescentar à nossa vida (v. 26). Logo, quem de vocês pode garantir que seus filhos não sofrerão acidentes? Quem de vocês pode proteger seus filhos deste mundo violento? Quem de vocês pode garantir vida eterna aos seus filhos? Atender a realidade que só o Senhor governa e garante a segurança dos seus é um passo muito importante para a santificação. 

É de fato um nobre desejo querer que seus filhos vivam para o Senhor, mas, ao mesmo tempo, também querer que eles não experimentem dor é complicado. Observe o seguinte: Não existe vida sem dor para os servos do Senhor (Jó 15.20). Se você deseja que seu filho ame e obedeça nosso Pai, proclamando Cristo a todos que estão por perto, haverá de entender que eles certamente passarão por tribulações. E isso dói, é verdade, mas não podemos pensar somente no presente (1 Pedro 4.13).

Precisamos confiar em Deus, pois Ele cuida de nós. Nosso Pai cuida de cada um de seus filhos mais do que você ou eu possa cuidar. Ainda que sejamos enviados como ovelhas entre lobos (Mateus 10.16), Deus, o Bom Pastor, nos guia no caminho correto e, se perdidos, Ele é capaz de nos trazer de volta para o caminho, durante todo o caminho. Não se preocupe. Não é bom saber que você pode confiar no Senhor? 

Mãe, seu objetivo não é apenas proteger seus filhos dos perigos deste mundo caído, mas é ser instrumento nas mãos do Senhor para que seu filho se conforme a imagem de Cristo. Para tal, o Senhor certamente usará algumas aflições, sofrimentos e tribulações para imprimir o caráter de Cristo em seu filho e em você (Tiago 1.2-4). 

"O Senhor não sabe apenas o que é melhor para você e seus filhos, mas Ele é o melhor para você e seus filhos em todas as circunstâncias." (Gloria Furman) 

Sem. André Dantas, Igreja Presbiteriana Nacional 

sábado, 17 de junho de 2017

A obediência é fruto do amor

"Aquele que tem os Meus mandamentos e os guarda, esse é o que Me ama." (João 14:21)

Que os que se sentem inclinados a fazer alta profissão de santidade se contemplem no espelho da lei de Deus. Ao constatarem o vasto alcance de seus apelos e compreenderem que ela atua como vigia dos pensamentos e intenções do coração, será possível presumir que não estão sem pecado. […]

Há os que professam possuir santidade, que se declaram santos do Senhor, que consideram como um direito as promessas de Deus, ao mesmo tempo que recusam obediência aos mandamentos de Deus. Esses transgressores da lei reivindicam tudo quanto é prometido aos filhos de Deus; mas isso é presunção da parte deles, pois João nos diz que o verdadeiro amor a Deus se revelará na obediência a todos os Seus mandamentos. Não basta crer na teoria da verdade, fazer uma profissão de fé em Cristo, crer que Jesus não é um impostor e que a religião da Bíblia não é uma fábula artificialmente composta. “Aquele que diz: Eu O conheço”, escreveu João, “e não guarda os Seus mandamentos é mentiroso, e nele não está a verdade. Aquele, entretanto, que guarda a Sua palavra, nele, verdadeiramente, tem sido aperfeiçoado o amor de Deus. Nisto sabemos que estamos nEle” (1Jo 2:4, 5). […]

João não ensinou que a salvação deveria ser adquirida pela obediência, mas que a obediência é fruto da fé e do amor. “Sabeis também que Ele Se manifestou para tirar os pecados”, disse, “e nEle não existe pecado. Todo aquele que permanece nEle não vive pecando; todo aquele que vive pecando não O viu, nem O conheceu” (1Jo 3:5, 6). Se estivermos em Cristo, se o amor de Deus estiver no coração, nossos sentimentos, pensamentos e ações estarão em harmonia com a vontade de Deus. O coração santificado está em harmonia com os preceitos da lei de Deus.

Muitos há que, embora procurando obedecer aos mandamentos de Deus, têm pouca paz ou alegria. Essa falha em sua experiência é o resultado da falta de exercitar a fé. Andam como se pisassem uma terra salina, um ressequido deserto. Pedem pouco, quando deviam pedir muito, pois não há limite para as promessas de Deus. Essas pessoas não representam corretamente a santificação que vem pela obediência à verdade. O Senhor quer que todos os Seus filhos e filhas sejam felizes, obedientes e desfrutem paz. Pelo exercício da fé, o crente toma posse dessas bênçãos. Pela fé, cada deficiência de caráter pode ser reparada; todas as contaminações, purificadas; cada falta, corrigida; e toda boa qualidade, desenvolvida.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Tenham filhos, meus filhos, porque vale a pena!

"Se eu pudesse dar só um conselho para os meus amigos, seria esse: tenham filhos. Pelo menos um. Mas se possível, tenham 2, 3, 4... Irmãos são a nossa ponte com o passado e o porto seguro para o futuro. Mas tenham filhos.

Filhos nos fazem seres humanos melhores.

O que um filho faz por você nenhuma outra experiência faz. Viajar o mundo te transforma, uma carreira de sucesso é gratificante, independência é delicioso. Ainda assim, nada te modificará de forma tão permanente como um filho.

Esqueça aquela história de que filhos são gastos. Filhos te tornam uma pessoa com consumo consciente e econômica: você passa a comprar roupas na Renner e não na Calvin Klein, porque no fim, são só roupas. E o tênis do ano passado, que ainda tá novinho e confortável, dura 5 anos... Você tem outras prioridades e só um par de pés.

Você passa a trabalhar com mais vontade e dedicação, afinal, existe um pequeno ser totalmente dependente de você, e isso te torna um profissional com uma garra que nenhuma outra situação te daria. Filhos nos fazem superar todos os limites.

Você começa a se preocupar em fazer algo pelo mundo. Separar o lixo, trabalho comunitário, produtos que usam menos plástico... Você é o exemplo de ser humano do seu filho, e nada pode ser mais grandioso que isso.

Sua alimentação passa a importar. Não dá pra comer chocolate com coca-cola e oferecer banana e água pra ele. Você passa a cuidar melhor da sua saúde: come o resto das frutas do prato dele, planta uma horta pra ter temperos frescos, extermina o refrigerante durante a semana. Um filho te dá uns 25 anos a mais de longevidade.

Você passa a acreditar em Deus e aprende como orar. Na primeira doença do seu filho você, quase como instinto, dobra os joelhos e pede a Deus que olhe por ele. E assim, seu filho te ensina sobre fé e gratidão como nenhum padre/pastor/líder religioso jamais foi capaz.

Você confronta sua sombra. Um filho traz a tona seu pior lado quando ele se joga no chão do mercado porque quer um pacote de biscoito. Você tem vontade de gritar, de bater, de sair correndo. Você se vê agressivo, impaciente e autoritário. E assim você descobre que é só pelo amor e com amor que se educa. Você aprende a respirar fundo, se agachar, estender a mão para o seu filho e ver a situação através de seus pequenos olhinhos.

Um filho faz você ser uma pessoa mais prudente. Você nunca mais irá dirigir sem cinto, ultrapassar de forma arriscada ou beber e assumir a direção, pelo simples fato de que você não pode morrer (não tão cedo)... Quem é que criaria e amaria seus filhos da mesma forma na sua ausência?! Um filho te faz mais do que nunca querer estar vivo.

Mas, se ainda assim, você não achar que esses motivos valem a pena, que seja pelo indecifrável que os filhos têm.

Tenha filhos para sentir o cheiro dos seus cabelos sempre perfumados, para ter o prazer de pequenos bracinhos ao redor do seu pescoço, para ouvir seu nome (que passará a ser mãmã ou pápá) sendo falado cantado naquela vozinha estridente.

Tenha filhos para receber aquele sorriso e abraço apertado quando você chegar em casa e sentir que você é a pessoa mais importante do mundo inteirinho pra aquele pequeno ser. Tenha filhos para ganhar beijos babados com um hálito que listerine nenhum proporciona. Tenha filhos para vê-los sorrirem como você e caminharem como o pai, e entenda a preciosidade de se ter uma parte sua solta pelo mundo. Tenha filhos para re-aprender a delícia de um banho cheio de espuma, de uma bacia de água no calor, de rolar com o cachorro, de comer manga sem se limpar.

Tenha filhos.

Sabendo que muito pouco você ensinará. Tenha filhos justamente porque você tem muito a aprender. Tenha filhos porque o mundo precisa que nós sejamos pessoas melhores ainda nessa vida."

Bruna Estrela