segunda-feira, 22 de abril de 2019

Lembre-se da cruz

"...verdadeiramente, este homem era o Filho de Deus." (Marcos 15:39)

Na igreja que frequento, há uma enorme cruz à frente. Ela representa a cruz original onde Jesus morreu — o lugar onde o nosso pecado se depara com a Sua santidade. Ali, Deus permitiu que Seu Filho perfeito morresse por causa de todas as coisas erradas que temos feito, dito ou pensado. Na cruz, Jesus completou o sacrifício necessário para nos salvar da morte que merecemos (Romanos 6:23).
A visão de uma cruz me faz considerar o que Jesus sofreu por nós. Antes de ser crucificado, Ele foi açoitado e nele cuspiram. Os soldados bateram na cabeça dele com madeira e ficaram de joelhos fingindo adorá-lo. Tentaram fazê-lo carregar Sua própria cruz até o lugar onde morreria, mas Jesus estava fisicamente muito fraco após o brutal flagelo. No Gólgota, martelaram os pregos em Sua carne para mantê-lo na cruz em posição vertical. Essas feridas suportaram o peso do Seu corpo, enquanto Ele estava suspenso ali. Seis horas depois, Jesus expirou (Marcos 15:37). Um centurião que testemunhou a morte 
de Jesus declarou: “…Verdadeiramente, este homem era o Filho de Deus” (v.39). Três dias depois ele ressuscitou.

A próxima vez que você vir o símbolo da cruz, repense sobre o significado que ela tem para você. O Filho de Deus sofreu e morreu sobre ela, e, em seguida, ressuscitou para que possamos ter a vida eterna. — Jennifer Benson Schuldt

A cruz de Cristo revela como é terrível o nosso pecado 
e como é grande o amor de Deus.

segunda-feira, 8 de abril de 2019

Fardo nas costas

"Vinde a mim, 
todos os que 
estais cansados 
e sobrecarregados, e eu vos aliviarei." (Mateus 11:28)

Certo homem, dirigindo sua picape numa estrada rural, viu uma mulher levando uma carga pesada; então, parou e lhe ofereceu carona. A mulher agradeceu e subiu na carroceria da picape.


Um momento depois, o homem notou algo estranho: a mulher ainda estava segurando a carga pesada, apesar de sentada no veículo! Espantado, ele lhe disse: “Por favor, senhora, largue a sua carga e descanse. Minha picape consegue levar você e as suas coisas. Apenas relaxe.”


O que fazemos com a carga de medo, preocupação e ansiedade que frequentemente carregamos ao passar por muitos desafios da vida? Em vez de descansar no Senhor, às vezes me comporto como aquela mulher. Jesus disse: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei” (Mateus 11:28), mas já me peguei levando cargas que deveria ter repassado para Jesus Cristo.

A oração é o lugar 
onde as cargas trocam de ombros.

segunda-feira, 1 de abril de 2019

Pequeno deslize

"Quem é o homem que ama a vida e quer longevidade para ver o bem? Refreia a língua do mal…" (Salmo 34:12,13)

A derrota de Napoleão na Rússia, há 200 anos, foi atribuída ao severo inverno russo, especificamente porque os seus cavalos estavam usando ferraduras de verão. Quando o inverno chegou, estes cavalos morreram porque escorregaram em estradas geladas ao puxarem os vagões de suprimento. O fracasso da cadeia de fornecimento de Napoleão reduziu seu forte exército de 400 mil para apenas 10 mil. Um pequeno deslize; um resultado desastroso!

Tiago descreveu como um deslize da língua pode fazer um grande estrago. Uma palavra errada pode alterar as carreiras ou os destinos das pessoas. A língua é tão tóxica que sobre ela, Tiago escreveu: “…nenhum dos homens é capaz de domar; é mal incontido, carregado de veneno mortífero” (3:8). O problema tem aumentado em nosso mundo contemporâneo como um e-mail descuidado ou uma postagem num site de mídia social que pode causar grande dano. Torna-se rapidamente viral e nem sempre pode ser recolhido.

O rei Davi estabeleceu o respeito ao Senhor com a maneira como usamos nossas palavras. Ele escreveu: “…eu vos ensinarei o temor do Senhor […]. Refreia a língua do mal e os lábios de falarem dolosamente (34:11,13). Ele decidiu: “…guardarei os meus caminhos, para não pecar com a língua; porei mordaça à minha boca…” (39:1). Senhor, ajuda-nos a fazer o mesmo. — C. P. Hia

Nossas palavras têm o poder de construir ou de destruir.

segunda-feira, 25 de março de 2019

Quem pode atirar as pedras

"Aquele que dentre vós estiver sem pecado seja o primeiro que lhe atire pedra." (João 8:7)

No momento em que um grupo de líderes religiosos levava uma mulher adúltera a Jesus, eles não podiam imaginar que a levavam para ser atingida pela graça. A esperança do grupo era desacreditar Jesus. Se Ele lhes dissesse para deixá-la ir, eles poderiam afirmar que Jesus estava infringindo a lei mosaica. Mas se Jesus a condenasse à morte, as multidões que o seguiam rejeitariam Suas palavras de misericórdia e graça. 


Mas Jesus virou o jogo. As Escrituras dizem que em lugar de lhes responder diretamente, Jesus começou a escrever na areia. Quando os líderes continuaram a questioná-lo, Ele convidou qualquer um deles que jamais tivesse pecado para jogar a primeira pedra e recomeçou a escrever na areia. Quando Jesus ergueu a cabeça, todos os acusadores o haviam deixado.

Agora a única pessoa que poderia ter jogado uma pedra — o único sem pecado — olhou para a mulher e lhe concedeu misericórdia, dizendo: “…Nem eu tampouco te condeno; vai e não peques mais” (João 8:11).

Se hoje você precisa de perdão por julgar outros ou deseja a garantia de que nenhum pecado é maior do que a Sua graça, então seja encorajado por isto: ninguém hoje jogará pedras; vá e seja transformado pela misericórdia de Deus. — Randy Kilgore

Servimos o Salvador que anseia perdoar.