domingo, 9 de fevereiro de 2020

Como mudar uma vida

"Palavras bondosas são como mel: doces para a alma e saudáveis para o corpo." (Provérbios 16:24) 

Às vezes, a nossa vida pode mudar de repente pelo impacto de outros. O trabalho de músicos ajudou Bruce Springsteen em sua infância difícil e sua luta contra a depressão. Ele descobriu a importância de sua obra por experiência própria: “É possível mudar a vida de alguém em 3 minutos com a canção certa”. 

De igual modo, as palavras podem nos dar esperança e até mudar o curso de nossa vida. Com certeza, a maioria de nós poderia relatar uma conversa que impactou para sempre sua vida — palavras de um professor que mudaram nossa visão de mundo; de encorajamento que restituíram nossa confiança; palavras bondosas de um amigo que nos ajudou num momento difícil.

Talvez seja por isso que o livro de Provérbios enfatize a responsabilidade de valorizar e usar as palavras sabiamente. As Escrituras nunca tratam o discurso como “só conversa”. E aprendemos que as palavras podem ter consequências de vida ou de morte (18:21). Com poucas palavras, podemos arrasar ou nutrir e fortalecer alguém (15:4).

Nem todos têm o dom de compor músicas, mas podemos buscar a sabedoria de Deus para servir com o nosso discurso (SALMO 141:3). Com apenas poucas e bem escolhidas palavras, Deus pode nos usar para transformar uma vida. — Administrador do site

Senhor, ajuda-nos a não subestimarmos o dom da linguagem. Que possamos usar nossas palavras sabiamente para curar e fortalecer outros, e para demonstrarmos a esperança que temos em ti.

Deus nos deu o poder de impactar vidas por meio de nossas palavras.

domingo, 26 de janeiro de 2020

Crescendo à semelhança de Cristo

"Sabemos que Deus faz com que todas as coisas concorram para o bem daqueles que o amam, dos que são chamados segundo o seu propósito". (Romanos 8:28)

Esse versículo é muito citado quando enfrentamos adversidades. Mas muitas vezes deixamos de notar que versículo seguinte nos ajuda a compreender o que é o "bem" de que falo o versículo 28. O versículo 29 começa com a palavra "pois", indicando tratar-se de uma continuação e amplificação do pensamento do versículo 28. Diz ele: "Pois os que conheceu por antecipação, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos".

O bem para o qual Deus opera em nossa vida é a conformidade à imagem do seu Filho. Portanto, esse bem não é necessariamente nosso conforto ou felicidade presentes, mas, sim, a conformidade a Cristo em medida sempre crescente para a eternidade.

Vemos essa mesma ideia em Hebreus 12:10: "Pois eles [nossos pais] nos disciplinaram durante pouco tempo, como bem lhes parecia, mas Deus nos disciplina para o nosso bem, para sermos participantes da sua santidade". Compartilhar da santidade divina é expressão equivalente a ser conformado à semelhança de Cristo. Deus sabe com exatidão o que pretende que nos tornemos e sabe com exatidão que circunstâncias, boas e ruins, são necessárias para produzir esse resultado em nossa vida.

Se parar e pensar no assunto, você perceberá que a maioria dos traços de caráter piedosos só pode ser desenvolvida por meio da adversidade. Deus, em sua infinita sabedoria, sabe exatamente de que adversidade necessitamos para crescer mais e mais à semelhança do seu Filho.

Na adversidade estamos crescendo à semelhança de Cristo.

segunda-feira, 6 de janeiro de 2020

A cura para a ansiedade

"Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições…" (Filipenses 4:6)

Muitas pessoas ficam entusiasmadas com o ano novo. Algumas fazem mudanças nos planos. Outras resolvem reformar a casa, comprar um móvel novo, trocar um quadro de lugar... A verdade é que os desafios e incógnitas que nos esperam em um novo ano nos deixam às vezes ansiosos. Enquanto pensamos na lista de coisas por fazer, devemos nos lembrar das palavras escritas pelo apóstolo Paulo: “sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica” (v.7).

Se alguém pudesse estar ansioso sobre o desconhecido e desafios, teria sido Paulo. Ele naufragou, foi espancado e preso. Em sua carta à igreja de Filipos, ele encorajou seus amigos que também estavam enfrentando incógnitas, dizendo-lhes: “Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições…” (v.6).

As palavras de Paulo nos encorajam. A vida é cheia de incertezas — venham elas como uma grande transição da vida, problemas familiares, de saúde ou financeiros. Continuamos aprendendo que Deus se importa. Ele nos convida a abandonar os nossos medos do desconhecido, entregando-os a Ele. Quando o fazemos, Ele, que sabe todas as coisas, promete que a Sua paz, “que excede todo o entendimento, guardará” nosso coração e mente em Cristo Jesus (v.7). 

O cuidado de Deus por nós traz paz à mente.

quarta-feira, 25 de dezembro de 2019

Mudança de rumo

E num sonho Deus os avisou que não voltassem para falar com Herodes. Por isso voltaram para a sua terra por outro caminho. (Mateus 2:12)

Agora que os presentes foram abertos, foi embora aquele clima poético, de mistério, de carinho, de manjedoura, de pastores, de estrela e cânticos. Incrível como tudo passou tão rápido. Para alguns, foi um Natal sem nada de novo. Para outros, de alegria e realização. Mas passou a agitação. Não há mais surpresas. Presentes e abraços foram dados e recebidos. Reconciliações e contribuições para "caixinhas de Natal" foram feitas. Agora, daqui para a frente, será preciso uma mudança de rumo!

Muita gente gostaria de ficar mais tempo nesse clima, ao lado da manjedoura ouvindo os cânticos de Natal, sentindo aquele clima de carinho e confraternização. A prova disso é que notamos algumas pessoas ainda desejando "Feliz Natal". Mas é interessante notar que, importante como tenha sido o acontecimento anunciado pelos anjos e acompanhado de sinais extraordinários, os Evangelhos não se demoram muito em torno do “clima poético” que acompanha o nascimento de Jesus. Somente Mateus e Lucas, no início, lhe dedicam espaço, enquanto Marcos e João só o mencionam indiretamente.

A narrativa bíblica diz que os anjos voltaram (Lc 2:15), os pastores voltaram (Lc 2:20) e os magos voltaram (Mt 2:12). Os anjos voltaram a ministrar. Os pastores sabiam que tinham de voltar para cuidar das ovelhas, encontrar pastagem para elas e prover-lhes abrigo. E os magos voltaram por um caminho diferente. Levaram consigo uma experiência nova. Tinham sido mudados pela contemplação do Deus menino, a quem adoraram.

Aqui estamos nós. O mundo, com seus desafios e compromissos, nos chamando de volta. Muitos já voltaram ao trabalho, à empresa, ao jardim, à cozinha, ao escritório, porque a luta pela sobrevivência não dá trégua.

O importante é voltar por um caminho diferente. Como pessoas renovadas. Colocar amor onde antes havia rejeição e revanchismo; tolerância no lugar de impaciência; e confiança onde demonstramos dúvida.

O encontro com Jesus tem que representar uma mudança de vida. Não nos preocupemos com os erros que eventualmente serão cometidos nessa mudança, porque eles são, no mínimo, um sinal de que estamos saindo da estrada principal e experimentando outros caminhos. (Roger Von Oech)

Você já pensou a respeito do que precisa ser mudado em sua vida? Tome agora outro rumo! Um rumo de paz e alegria advindas da presença constante do Senhor em sua vida.