segunda-feira, 24 de junho de 2019

Sempre amado

"Sabei que o Senhor separou seu servo fiel de si mesmo." (Salmo 4:3)

É quase impossível passarmos um dia sem sermos desprezados, ignorados, ou de alguma forma diminuídos. Às vezes, fazemos isso conosco mesmo.

Os inimigos de Davi foram ameaçar, zombar e insultá-lo. Seu senso de autoestima e bem-estar estava muito baixo (vv.1,2). Ele pediu por alívio de sua angústia e aflição.

Nesse ínterim, Davi se lembrou: “Sabei, porém, que o Senhor distingue para si o piedoso” (v.3). Outras traduções da Bíblia tentam capturar a essência dessa declaração ousada de Davi de “piedoso” como “fiel, querido”. A palavra hebraica aqui, hesed, literalmente, refere-se ao amor da aliança de Deus e poderia muito bem ser entendido como: “Aqueles a quem Deus vai amar para sempre e todo o sempre”.

Aqui está o que nós também devemos nos lembrar: Somos amados para sempre, separados de maneira especial, tão caros a Deus como o Seu próprio Filho. Ele nos chamou para sermos os Seus filhos por toda a eternidade.

Em vez de nos desesperarmos, podemos nos lembrar do amor que recebemos livremente de nosso Pai. Somos os Seus filhos amados. O fim não é o desespero, mas a paz e a alegria (vv.7,8). Ele nunca desiste de nós e nunca deixa de nos amar. — David H. Roper

A verdadeira medida do amor de Deus é o fato de que 
Ele nos ama sem medida. 

terça-feira, 18 de junho de 2019

Águas turbulentas

"…não temas, nem te desanimes, porque o Senhor Deus, meu Deus, há de ser contigo; não te deixará, nem te desamparará…" (1 Crônicas 28:20)

Eu estava desfrutando o começo de minha primeira experiência de rafting em corredeiras rápidas, até que ouvi o rugido das águas à frente. Minhas emoções foram inundadas com sentimentos de incerteza, medo e insegurança ao mesmo tempo. Passar pelo corredor de águas tão rápidas fora uma experiência amedrontadora! E de repente, tinha acabado. O guia na parte de trás do bote tinha nos ajudado a navegar. Eu estava seguro, pelo menos até as próximas quedas-d’água.

As transições em nossa vida podem ser como essas corredeiras. Os saltos inevitáveis levam de uma estação da vida à outra, da faculdade à carreira, mudanças de emprego, sair da casa dos pais para viver sozinho ou com um cônjuge, da carreira à aposentadoria, da juventude à velhice — são fases marcadas por incertezas e inseguranças.

Em uma das transições mais significativas registradas na história do Antigo Testamento, Salomão assumiu o trono de seu pai Davi. Tenho certeza de que ele estava cheio de incertezas sobre o futuro. Qual o conselho de seu pai? “…não temas, nem te desanimes, porque o Senhor Deus, meu Deus, há de ser contigo” (1 Crônicas 28:20).

Teremos a nossa justa parte de transições difíceis na vida. Mas com Deus em nosso bote não estamos sozinhos. Manter os nossos olhos fixos Naquele que está navegando conosco nas corredeiras traz alegria e segurança. Ele já conduziu muitos outros antes. — Joe Stowell

Deus nos guia em meio às transições 
que fazem parte de nossa vida.

segunda-feira, 10 de junho de 2019

A beleza do fracasso

"Sacrifícios agradáveis a Deus são o espírito quebrantado; […] não o desprezarás, ó Deus."(Salmo 51:17)

Kintsugi é a secular arte japonesa de remendar cerâmica quebrada. O pó de ouro misturado com resina é usado para rejuntar peças quebradas ou preencher rachaduras, fazendo uma ligação impressionante. Em vez de tentar esconder o reparo, essa arte faz algo bonito com os pedaços quebrados.


A Bíblia diz que Deus também valoriza o nosso quebrantamento, quando genuinamente nos arrependemos do pecado que cometemos. Após Davi cometer adultério com Bate-Seba e planejar a morte do marido dela, o profeta Natã o confrontou, e ele se arrependeu. A oração de Davi logo depois, nos dá uma visão do que Deus deseja: “…não te comprazes em sacrifícios; […] e não te agradas de holocaustos. Sacrifícios agradáveis a Deus são o espírito quebrantado; coração compungido e contrito…” (vv.16,17).

Quando o nosso coração está abatido por causa do pecado, Deus o restaura com o inestimável perdão oferecido generosamente por nosso Salvador na cruz. Ele nos recebe com amor quando nos humilhamos diante dele, e a intimidade é restaurada.

Como Deus é misericordioso! Consideremos o Seu desejo por um coração humilde e a deslumbrante beleza da Sua bondade, ao orarmos hoje: “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno” (Salmo 139:23,24). — James Banks

A “tristeza segundo Deus produz arrependimento 
para a salvação” e conduz à alegria. (2 Coríntios 7:10)

domingo, 2 de junho de 2019

Flores para sempre

"...seca-se a erva, e cai a sua flor, mas a palavra de nosso Deus permanece eternamente." (Isaías 40:8) 

Nesta semana que se comemora do Dias dos Namorados, alguns homens à moda antiga ainda surpreendem suas eternas namoradas com flores. Muitos casais guardam essas flores em um jarro com água e costumam apreciá-las até murcharem e serem jogadas fora.

É comum o namorado dizer: “Olhe, querida, vão durar para sempre. Isso é o quanto eu te amo.”

Mas em uma semana as pétalas de seda se desgastam, as cores desaparecem. Ainda assim, as flores “para sempre” podem lembrar o casal desse amor, e trazer-lhe algo mais à mente — algo que realmente permanece para sempre: o amor ilimitado e duradouro de Deus, revelado em Sua Palavra infalível e duradoura.

Conforme o versículo citado, quando os israelitas enfrentaram provações, Isaías os confortou com confiança nas palavras consoladoras de Deus. Proclamou que Deus pagara a dívida causada pelo pecado deles, garantindo sua esperança no próximo Messias. Eles confiaram no profeta porque o foco dele permanecia em Deus, não nas circunstâncias que os envolviam.

Neste mundo de incertezas e aflições, nossas opiniões e sentimentos estão sempre mudando e são tão limitados quanto a nossa mortalidade. Ainda assim, podemos confiar no amor e no caráter imutável de Deus, revelado em Sua Palavra constante e eternamente verdadeira.

Deus assegura o Seu amor em Sua Palavra imutável, 
hoje e eternamente.