segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Fé ruim, fé boa

"…não duvidou, […] da promessa de Deus; mas, pela fé, se fortaleceu, dando glória a Deus." (Romanos 4:20) 

As pessoas dizem: “Você precisa ter fé.” Mas o que isso quer dizer? Qualquer fé é boa?

“Acredite em você mesmo e em tudo o que você é,” escreveu um pensador há um século. “Saiba que há algo em seu interior maior do que qualquer obstáculo.” Por mais agradável que isso soe, se desmorona quando se choca com a realidade. Precisamos de uma fé em algo maior do que nós mesmos.


Deus prometeu a Abraão que ele teria uma multidão de descendentes (Gênesis 15:4,5), dessa forma, Abraão enfrentou um grande obstáculo — estava velho e sem filhos. Quando ele e Sara se cansaram de esperar que Deus cumprisse tal promessa, tentaram sobrepor esse obstáculo por conta própria. Como resultado, fenderam sua família e criaram muita discórdia desnecessária (Gênesis 16; 21:8-21).

Nada que Abraão fez com suas próprias forças funcionou. Mas no fim das contas, ele ficou conhecido como um homem de tremenda fé. Paulo escreveu que: “Abraão, esperando contra a esperança, creu, para vir a ser pai de muitas nações, segundo lhe fora dito: Assim será a tua descendência” (Romanos 4:18). Esta fé, disse Paulo: “…lhe foi também [imputada] para justiça” (v.22).

A fé deste homem estava em algo bem maior do que ele mesmo — no único Deus. É o objeto de nossa fé que faz toda a diferença. — Tim Gustafson

Nossa fé é boa se estiver alicerçada na pessoa de Jesus.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

Quando restam perguntas

"Mas ele sabe o meu caminho; se ele me provasse, sairia eu como o ouro." (Jó 23:10)

Enquanto equipes buscam sobreviventes do rompimento de uma barragem da mineradora Vale em Brumadinho (MG), técnicos começam a se debruçar sobre as causas da tragédia. Eles listaram perguntas que ainda não foram respondidas pela empresa e por autoridades - e cujas respostas ajudarão a compreender os motivos do desastre e a medir seus impactos. Muitas delas serão respondidas, mas sempre restarão perguntas cujas respostas somente fluirão de uma fonte sobrenatural.

Em 2014, uma nave experimental em teste se desintegrou e caiu em área deserta. O copiloto morreu; o piloto sobreviveu milagrosamente. Os investigadores logo determinaram o que acontecera, mas não o porquê. O título de um artigo de jornal começava com: “Restam perguntas.” 

Na vida, podemos ter pesares para os quais não há explicação adequada. Alguns são catástrofes com efeitos de longo alcance; outros, tragédias pessoais que alteram nossa vida individual e as famílias. Queremos saber o porquê, contudo encontramos mais perguntas do que respostas. No entanto, mesmo quando lutamos com o motivo, Deus nos alcança com Seu amor infalível.

Ao perder seus filhos e sua riqueza em um só dia (Jó 1:13-19), Jó se afundou em raivosa depressão e resistiu a toda tentativa de explicação por parte de seus amigos. Contudo, manteve a esperança de, algum dia, ter uma resposta de Deus. Mesmo em trevas, Jó pôde dizer: “[Deus] sabe o meu caminho; se ele me provasse, sairia eu como o ouro” (23:10).

O autor Oswald Chambers disse: “Algum dia, virá um toque pessoal e direto de Deus, quando toda lágrima e perplexidade, opressão e angústia, sofrimento e dor, erro e injustiça terão explicação total, extensa e avassaladora.”

Hoje, diante das perguntas não respondidas da vida, podemos encontrar ajuda e esperança no amor e nas promessas de Deus. — David C. McCasland

Diante de perguntas não respondidas, encontramos ajuda e esperança no amor de Deus.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

Um lugar firme para ficar

"Tirou-me de um poço de perdição, de um tremedal de lama; colocou-me os pés sobre uma rocha…" (Salmo 40:2)

Uma moradora da comunidade Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), a cabeleireira Antonia de Oliveira trabalhava no salão que ela tem em casa quando uma vizinha veio avisar que um barragem de rejeitos da Vale estava se rompendo, na sexta-feira passada (25). Com o filho Artur, de três anos, e a sobrinha Lariele, 20, ela não viu outra saída a não ser correr para um lugar seguro.

Para tentar sobreviver, escapou por uma ladeira. "Saí correndo desesperada, morro acima, com o filho nas costas. Parecia que a gente corria, corria demais e não saía do lugar, parecia que não ia dar tempo. Era desespero total".

Os dias em que vivemos podem parecer tão turbulentos quanto os de hoje em Brumadinho. Como aquelas pessoas sobreviventes desse desastre, precisamos de um lugar seguro para nos ajudar a atravessar as tempestades da vida. 

Davi, quando escreveu o Salmo 40, havia passado por uma situação de desespero, mas ele enfrentou o perigo e celebrou o caráter de Deus por lhe dar um lugar firme para ficar. Ele declarou: “Tirou-me de um poço de perdição, de um tremedal de lama; colocou-me os pés sobre uma rocha e me firmou os passos” (Salmo 40:2). Davi vivenciou conflito, o fracasso pessoal e conflitos familiares; ainda assim, Deus lhe deu um lugar para firmar-se. E, Davi cantou “…um hino de louvor ao nosso Deus…” (v.3).

Em tempos de dificuldade, nós também podemos buscar em nosso poderoso Deus a estabilidade que só Ele concede. Seu cuidado fiel nos inspira a dizer com Davi: “São muitas, Senhor, Deus meu, as maravilhas que tens operado e também os teus desígnios para conosco” (v.5).

Que Deus socorra as vítimas do desastre de Brumadinho.

Quando o mundo à nossa volta está desmoronando, Cristo é a rocha sólida em que nos firmamos.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

Marcar passo

"…dos que em ti esperam, ninguém será envergonhado…" (Salmo 25:3)

Estamos vivenciando momento de muita ansiedade e afobamento na política brasileira. É muito importante que mantenhamos a calma, confiantes na providência soberana de Deus. Temos que ter o cuidado para não repassarmos adiante em nossas redes sociais informações inverídicas ou enviesadas e manipuladas, muitas delas sem fundamento, divulgadas com o único objetivo de desmoralizar os políticos que estão empenhados em restabelecer a ordem moral e econômica na nossa Nação. Não podemos prejulgar as pessoas e nem afirmar generalizações do tipo "todo político é bandido", porque isso não é verdade. Vamos manter as orações no sentido de que os magistrados desse país, únicos que têm competência legal para isto, julguem sabiamente cada caso de corrupção que tanto tem envergonhado o nosso povo.


Tomemos por exemplo a disciplina dos quarteis. A ordem militar “marcar passo” significa marchar sem sair do lugar. É uma pausa ativa no movimento para a frente, permanecendo mentalmente preparado e esperando com expectativa a próxima ordem.

Na linguagem do dia a dia, o termo marcar passo significa “movimento sem progresso, sem chegar a lugar algum, nada fazendo de importante, enquanto se espera.” Essa expressão pode transmitir a sensação de ócio, de espera sem sentido, mas nem sempre é assim.

Em contraste, a palavra para esperar na Bíblia muitas vezes significa “olhar ansiosamente para, ter a expectativa de”. O salmista, ao enfrentar grandes dificuldades, escreveu: “Deus meu, em ti confio; não seja eu envergonhado, nem exultem sobre mim os meus inimigos. Com efeito, dos que em ti esperam, ninguém será envergonhado… (Salmo 25:2,3).

Muitas vezes, não temos escolha sobre o que temos de esperar — um diagnóstico médico, uma resposta da entrevista de emprego, a volta de um ente querido, a boa administração pública da Nação — mas podemos decidir de que maneira vamos esperar. Ao invés de ceder ao medo ou apatia, podemos continuar a “marchar no lugar”, buscando a força de Deus e direção a cada dia.

“Faze-me, Senhor, conhecer os teus caminhos, ensina-me as tuas veredas. Guia-me na tua verdade e ensina-me, pois tu és o Deus da minha salvação, em quem eu espero todo o dia” (vv.4,5).

Esperar no Senhor é exercer a confiança prática e atuante, não apenas teórica.